domingo, 26 de outubro de 2008

Fugaz Melodia

Queria poder escrever canções
Que falassem sobre as coisas da vida
Mas me perco nos tons, semitons
De harmonias sem ritmo ou melodia

A verdade é que não escrevo
O desejo da fuga, realidade invertida
De músicas sem fim, sem começo
Sem que haja sequer poesia

Não tento camuflar o que penso
do efêmero
do simples
do preço
A que se vende nenhum desafio

Prefiro falar como quem canta
E cantar como quem fala
Escrever como quem vive
Viver como quem escreve
Sentir o belo que existe
Naquilo que encanta e não é breve...

Leo Sousa.

Um comentário:

Renan disse...

você falou tudo...
as coisas da vida são "harmonias sem ritmo ou melodia" ;~



mas, um dia melhora! :)